DESTINOS

Por caminhos bem temperados descobrimos pedaços de história a cada passo

Este mês descubra…

A Rota de Portugal
em Flor

O sol desponta, a temperatura sobe e Portugal torna-se num jardim junto ao atlântico. Um jardim que inspira poetas e músicos. Um jardim que enche os campos de vida e cor.

Como era impossível dar destaque a todas as flores que enriquecem Portugal, centrámo-nos em três: as flores das amendoeiras, as flores das cerejeiras e as orquídeas selvagens.

Viajámos até às terras circundantes a Vila Nova de Foz Côa e deixámo-nos emaranhar nas suas estradas serpenteantes por entre as amendoeiras floridas, num local conhecido por ter uma das maiores extensões de amendoeiras do país.

Cenários deslumbrantes foram o que nos esperavam em Resende e no Fundão com as suas encostas repletas de cerejeiras em flor.

Na serra de Aire e Candeeiros, procurámos as belas e tímidas orquídeas selvagens. Esta Serra deu-nos a conhecer das vistas mais espetaculares que já encontrámos, enquanto, escondia as pequenas e elusivas orquídeas por entre a restante vegetação.

A Primavera chegou, de facto. Desta vez damos a palavra à natureza, à caminhada, à descoberta. Uma viagem sensorial por entre cores e aroma.

Mas não é tudo! Desde os andores para transportar os santos, nas festas das paróquias até aos cortejos das festas académicas existe, em Portugal, a tradição de decorar as festas e romarias com flores naturais ou de papel. Um trabalho imenso que demora meses de preparação muitas vezes somente para um dia de festa. Assim com este tema Portugal em Flor quisemos destacar quatro festas “Floridas” que irão acontecer ao longo do ano de 2015. E é de aproveitar porque algumas delas só acontecem de 4 em 4 anos e outras só quando o povo quiser ….

Deixe-se encantar pelas flores de Portugal!


Para seguir o nosso roteiro passo a passo, subscreva a nossa newsletter.

Resende- Rota da Cerejeira em Flor

Quem disse que somente no Japão se podiam apreciar e beleza das cerejeiras em flor? Igualmente, em Portugal, entre o mês de Março e Abril, podemo-nos deslumbrar com estas flores magnífica que salpicam de branco as encostas do Douro.

Resende (e a área circundante) é, assim, um dos pólos da cereja em Portugal. Após uma breve passagem por este local aquando da Rota do Românico (Março 2015), é com agrado que voltamos, desta vez para contemplar um tipo de beleza mais… floral.
A viagem, que realizamos de automóvel inicia-se pelas freguesias de São João de Fontoura, onde encontramos uma encosta magnífica repleta de árvores totalmente florescidos. Continuamos por São Pedro de Paus, Barrô e São Martinho de Mouros, com paisagens mais campestres mas igualmente magníficas. Nesta última localidade, poderá ser visitado o Centro Interpretativo da Cereja, (sob marcação) que se encontra no antigo edifício da escola primária da aldeia de Vila Verde.
Se lhe sobrar algum tempo aproveite para visitar os monumentos da Rota do Românico existentes nesta localidade. Nós, voltaremos lá em breve mas desta para nos deliciar com as cerejas já maduras!


Marcação de Visitas Centro Interpretativo da Cereja:
 
Telefone. 254 877 200
E-mail. museu@cm-resende.pt
 

Vila Nova de Foz Côa – Rota das Amendoeiras em Flor

A beleza das amendoeiras em flor levou-nos até Vila Nova de Foz Côa e às localidades circundantes. Todos os anos assinalam este fenómeno com festas e romarias que animam a população e as levam a visitar estas árvores de fruto. As amendoeiras são uma das principais fontes de rendimento da região pelo que são amplamente estimadas.

Pode começar pelo centro da cidade, no posto de turismo ou numa das lojas de produtos tradicionais que existem na zona antiga, e daí saia em direção a Freixo de Numão para ver os primeiros pomares. De seguida dirija-se até Murça onde pelo caminho poderá apreciar uma visão panorâmica dos campos envolventes. Para onde quer que olhe verá um mar branco de flores brancas.

Não nos cansamos da beleza que se estende perante nós e decidimos aventurar-nos pelos caminhos sinuosos até Torre de Moncorvo, passando pelo Pocinho, primeiro na estrada junto ao rio e depois escolhendo o percurso panorâmico. Por aqui verá, não só campos de amendoeiras em flor, como também uma paisagem incrível para o vale mais abaixo.

Esta é uma região que vale a pena visitar, cheia de património tangível e intangível. Se tiver tempo, complete a sua viagem com uma visita ao Museu do Côa antes de seguir para o próximo destino.


Posto de Turismo de Vila Nova de Foz Côa:

 
 Morada: Av. Gago Coutinho e Sacadura Cabral, 5150 Vila Nova de Foz Côa
Telefone. 279 760 329
E-mailturismo@cm-fozcoa.pt
 

Fundão- Rota das Cerejeiras em Flor

O Fundão é conhecido pela qualidade e pela quantidade de cerejas que produz. Contudo, foi-nos dito que as cerejas apenas chegaram há cerca de 200 anos ao nosso país, trazidas pelos jesuítas vindos do Japão.

Dois séculos depois é possível continuar a observar a beleza desta árvore, as suas copas transformadas em pétalas de neve que cobrem as encostas. Mas, não é no centro do Fundão que irão encontrar as cerejeiras. É preciso sair um pouco da malha urbana para observarem estas árvores em todo o seu esplendor.

Aprecia-se melhor a paisagem caminhando por entre os pomares. Iniciamos o nosso percurso na  sede da Gardunha Viva, a Associação de Montanhismo do Fundão, em direção à aldeia de Alcongosta, por caminhos de terra batida, asfalto e pedras, por subidas e descidas que apresentam um grau de dificuldade médio ou difícil (dependendo da sua forma física). E é nesta aldeia que inicia e termina o percurso pedestre da Rota da Cereja  que tem uma distancia total de 9,9km e está todo ele devidamente sinalizado (PR7 FND).

A sensação de paz e relaxamento envolvem-nos à medida que vamos caminhando. A paisagem muda completamente nesta altura do ano, com os socalcos na serra da Gardunha a pintarem-se de branco. As pétalas vão-se soltando ao toque da brisa refrescante numa chuva alva.

Fique atento durante o percurso pois pode encontrar várias espécies de aves e grupos de javalis que por ali se encontram.

Em Alcongosta é possível uma paragem para provar o licor de cereja ou os pastéis de cereja ou apenas para recuperar energias nos cafés locais. É uma localidade pequena e pitoresca, mas que recebe, todos os anos, a festa da cereja perto do mês de junho.

Passamos por casas isoladas, até atingirmos uma encosta erma. Aí tivemos que descer por entre as árvores e agarrados a cordas para chegarmos ao miradouro com vista para a cidade do Fundão e para os campos de cerejeiras circundantes.

O final da nossa viagem foi novamente no Fundão. Aproveite para explorar a cidade e provar a gastronomia local. Não se vai arrepender.


Informações úteis:
 
Percurso Pedestre Rota da Cereja PR7 (FND): aqui

Serra De Aire e Candeeiros – Orquídeas Selvagens

Não é só de flores de árvores de fruto que se cinge este roteiro. A natureza em Portugal tem muitos segredos escondidos. As orquídeas selvagens da Serra d’Aire e Candeeiros são uma delas. Das 55 variedades de Orquídeas Selvagens existentes em Portugal, 25 podem ser encontradas nesta Serra, sendo assim um local de excelência para sua observação.

Decidimos ir procura-las usando os trilhos dos percursos pedestres da serra. Os mais corajosos podem usar o percurso PR2, de Chãos a Alcobertas de 16km, ou como nos fazer o mais curto PR4 de Chãos até à gruta no cimo da encosta de 4,5km.

Começamos e terminamos o trajeto no centro cultural de Chão no meio de pinheiros de grande porte. Depois, é só seguir as indicações do percurso com atenção para não se perder. Ou, se tiver a nossa sorte, ganhar a companhia de um cão ao passar à frente do café, antes de sair da aldeia. O mundo animal tem destas coisas. O cão não nos abandonou e impediu que nos perdêssemos no decurso de todo o caminho. 4,5 kms com um novo amigo de quatro patas.

Enquanto sobe a serra vai deparar-se com o chão coberto de ervas aromáticas como o alecrim e o tomilho. É um perfume intenso e fresco que nos impele a subir por caminhos estreitos. A vista vai-se tornando cada vez mais deslumbrante com a serra de Montejunto e a bacia terciária do Tejo à nossa frente, assim como as aldeias de Chãos, Casais Monizes e Alcobertas. No cimo, junto à gruta (possível de visitar com guia), existe uma estrutura de apoio onde se pode repousar.

As orquídeas lá vão aparecendo, timidamente, nos seus tons lilases e brancos. Pequenas campânulas que balançam ao vento. É preciso ter atenção pois são pequenas e podem estar dissimuladas entre a restante vegetação.

Com as ventoinhas eólicas como pano de fundo, passamos pela lagoa dos candeeiros. Atrás desta vislumbra-se a Benedita e a costa atlântica entre Peniche e a Nazaré em dias de boa visibilidade.

Iniciamos a descida de novo para Chãos (PR4) por trilhos estreitos de pedras soltas até alcançar novamente o Centro Cultural de Chãos, mas ainda não estamos satisfeitos. Espera-nos uma última surpresa.

Já de carro, fomos até ao Parque Eólico de Candeeiros, deslumbrar-nos com a vista desde o marco geodésico,  que assinala uma altura de 485 m. Aos nossos pés estende-se um tapete de tomilho e alecrim. Entre eles, inúmeras orquídeas selvagens apontam para o céu em busca da luz. Permaneça aqui algum tempo. Se não for por mais nada, ao menos feche os olhos e deixe-se emergir no encanto da Serra d’Aire e Candeeiros.


Informações úteis:
 
Percurso Pedestre PR2 (RMR) Chãos / Alcobertas: aqui
Percurso Pedestre PR4 (RMR) Chãos / Gruta: aqui
Marco Geodésico de Candeeiros GPS: 39º 26’ 10’’ N 8º 54’ 06’ W
 

Festa da Flor da Madeira

Durante uma semana, a ilha da Madeira é palco de um dos seus eventos mais emblemáticos – a Festa da Flor, espetáculo que se realiza habitualmente nos meses de abril ou maio. Numa comemoração à chegada da primavera e ao exuberante florescer próprio da época, a Festa da Flor presta homenagem à relação especial dos madeirenses com as flores, num espetáculo único pela abundância das suas belas flores que enchem as ruas da baixa do Funchal de suaves perfumes, cor e fantasia.

As festividades começam com a abertura do Mercado das Flores, na placa central da Avenida Arriaga, iniciativa integrada no evento a partir de 2007 e que dá a conhecer as inúmeras espécies florais e decorativas existentes num ambiente pitoresco e tradicional, onde as vendedoras – as “floristas da Madeira” – se apresentam trajadas com os fatos regionais. A Exposição da Flor, que ocorre bem no centro da cidade do Funchal, mais concretamente no Largo da Restauração, permite ainda hoje a observação e a avaliação dos mais belos exemplares e variados tipos de flores produzidos na Madeira, sendo avaliadas nas suas diversas categorias e as melhores distinguidas por um júri especializado.

Graças à sua incontestável beleza e minúcia, de há uns anos a esta parte os tapetes de flores passaram a estar patentes nas ruas por ocasião da Festa da Flor, constituindo, a par das esculturas florais, um grande contributo para a magnificência das decorações citadinas, cuja construção criteriosa é partilhada e admirada pelos turistas que nos visitam. Estas maravilhosas peças de arte floral ocupam as placas centrais pedonais da Avenida Arriaga.

Na manhã de sábado tem lugar o Cortejo Infantil, no qual centenas de crianças, vestidas a preceito, desfilam até à Praça do Município para ali compor um belíssimo mural de flores simbolicamente denominado por «Muro da Esperança». Esta iniciativa, que se realiza há mais de três décadas, associa a singeleza infantil à delicadeza das flores e tem como propósito um apelo à paz no mundo. Cada criança leva uma flor e esta cerimónia habitualmente culmina com uma largada de pombos e com um espetáculo infantil.

Na tarde de domingo, as ruas da baixa funchalense voltam a encher-se de música, de cor e de suaves perfumes com o sumptuoso desfile de carros alegóricos que harmoniosamente conjugam múltiplas espécies florais com decorações repletas de criatividade. Este é o Cortejo Alegórico da Flor, um dos acontecimentos mais marcantes e dos mais aguardados de todo o certame, quer por visitantes, quer por residentes, e que se realiza desde 1979, pautando-se pela exuberância dos carros alegóricos e dos trajes de centenas de figurantes, na maioria crianças, amplamente adornados com inúmeras, variadas e magníficas espécies florais, que desfilam ao longo de um itinerário previamente estabelecido, ao som de alegres temas musicais e executando coreografias, ora simples, ora elaboradas.

 

 Crédito Fotos: Turismo da Madeira


Informações úteis:
Datas: 16 a 22 de Abril 2015
Website: http://festadaflor.visitmadeira.pt/

Festa dos Tabuleiros – Tomar

De quatro em quatro anos, realiza-se em Tomar a tradicional Festa dos Tabuleiros e temos a sorte de 2015 ser um destes anos.
Acredita-se que se trata de uma das mais antigas festas do nosso país, tendo as suas raízes na antiga tradição pagã das festas das colheitas e de celebração da fertilidade da terra e da Deusa Ceres. Estas festas foram posteriormente cristianizadas pela Rainha Santa Isabel, esposa do rei D. Dinis, e celebram hoje o Divino Espírito Santo.

Mas o traço mais característico desta festa é o Desfile ou Procissão dos tabuleiros, que representam as 16 freguesias e percorre a ruas de Tomar por 5 km, ladeado pelas colchas que a população pendeu a janela, e os milhares de visitantes que vêm se deslumbrar por essa profusão de cores.

Tradicionalmente, o tabuleiro é transportado por uma rapariga vestida de branco e terá de ter a altura da mesma. Este é decorado por flores de papel colorido, espigas de trigo, 30 pães, de 400gr cada, enfiados em canas que saem de um cesto de vime envolvido por um pano branco bordado. O topo do tabuleiro é ainda composto por uma coroa encimado pela Cruz de Cristo ou a Pomba do Espírito Santo.

Além do Desfile, a Festa é constituídas de diversas cerimónias tradicionais como o Cortejo das Coroas, o Cortejo dos Rapazes, o Cortejo do Mordomo ou a chegada dos Bois do Espírito Santo os Cortejos Parciais e os Jogos Populares. As ruas do centro histórico são igualmente ornamentadas com flores dando cor e alegria a cidade.

No dia a seguir ao Cortejo, ainda se mantém a tradição da Pêza que consiste na partilha do pão e da carne pelas populações.

Crédito Fotos: Turismo de Lisboa


Informações úteis:
 
Datas: 4 a 13 de Julho 2015
Website: www.tabuleiros.org

Festa do Povo – Campo Maior

Diz-se que o “Carnaval é quando um homem quer”, pois bem, o mesmo acontece com as Festas de Campo Maior “é quando o povo quer”! De facto, estas festas não têm periocidade definida, as edições acontecem quando a população de Campo Maior assim o decide, pois baseiam-se num esforço de voluntariado titânico.
Em 2015, o povo quis aceitar novamente este desafio e nos agradecemos! Assim este ano entre os dias 22 e 30 de Agosto vamos todos rumar novamente a Campo Maior, talvez para visitar novamente a Adega Mayor (ver Rota Adegas Surpreendentes) mas principalmente para visitar as suas ruas floridas.

Estas festas definem-se como uma primavera em pleno verão alentejano, um oásis de cor e fantasia que contrastam com as casas caídas de branco.

São cerca de 100 ruas decoradas com flores de papel e outros materiais em cartão, o que representa cerca de 20km de flores, 30 toneladas de materiais, 7.500 voluntários, meses de preparação, muito amor e dedicação.

Campo Maior transforma-se assim num imenso jardim de onde da mão dos seus artistas crescem rosas, tulipas, glicínias, malmequeres fruto da imaginação e criatividade dos organizadores. Aos visitantes só lhes resta deslumbrarem-se e divertirem-se!

Crédito Fotos: Festas do Povo de Campo Maior


Informações úteis:
Datas: 22 a 30 de Agosto 2015
Website: www.festasdopovo.pt

Ruas Floridas  – Redondo

A tradição das Ruas Floridas da Vila Alentejana de Redondo remonta a 1838 é um evento que se repete de dois em dois anos, onde a população se junta para enramar as suas ruas com milhares flores de papel colorido.

Cada rua, num total de 43, tem um tema diferente que somente é divulgado no dia da apresentação do programa. Esse tema só depende da criatividade dos “artistas floristas” de Redondo, e podem ir desde o imaginário infantil, a etnografia até ao cinema, o limite é mesmo só a imaginação.

Sejam miúdos ou graúdos toda a Vila se junta em volta das suas festas, que somente são possíveis pelo esforço e a dedicação voluntária dos seus habitantes. Meses de trabalho árduo, para oferecer aos seus visitantes, durante uma semana, um espetáculo magnifico de cor, sonho e fantasia.

Como reconhecimento de todo esta entrega as Ruas Floridas de Redondo foram galardoadas pelo “Prémio Iniciativa Turismo do Alentejo” em 2013 e pelo “ Prémio Evento Público-2013 em julho de 2014.

Durante o evento são ainda oferecidos espetáculos musicais, teatro, mostras de artesanato e gastronomia….definitivamente a não perder!

Crédito Fotos: Município de Redondo


Informações úteis:
Datas: 1 a 9 de Agosto 2015
Website: www.cm-redondo.pt

 

 

 

Pin It on Pinterest

Share This
€0.000 items